a minha pausa…

Escrever para mim sempre foi muito libertador, sinto isso desde criança, no entanto nunca foi tão simples, na infância, confesso, era mais fácil, pois a criança é despretensiosa, tem a alma leve, falo em leveza no sentido de não ter vivido o suficiente a ponto de se preocupar com os prós e contras que as palavras podem lhes trazer. Conforme eu crescia as travas começavam a aparecer, até que eu cheguei à faculdade (de letras), e a impressão que eu tinha, era que eu estava desaprendendo a escrever conforme o tempo ia passando, porque eu tinha que me preocupar com tantas e tantas coisas ao escrever qualquer texto… que ele não fluía, e isso era doloroso, porque era daquele jeito, escrevendo, que eu mais conseguia me expressar, e de repente com tantas avaliações sobre o meu discurso escrito, fui descobrindo que quando os olhos das pessoas se voltavam atentos pra mim, esperando alguma coisa boa… eu sentia medo, e perdia a naturalidade, até que o medo que eu tinha de algumas outras coisas também se instalava no meu escrever, mesmo assim o fazia, mas sempre ficava aquela sensação que não tinha sido bom o suficiente, mas o mais estranho é que eu não gostava de refazer ou de melhorar, porque de certa forma voltar atras nas minhas próprias palavras não faziam muito sentido… mas tá… Por que  escrever sobre isso? Para tentar falar, ou melhor, escrever sobre a minha pausa aqui no blog, porque nossa… fazendo as contas aqui está quase completando 1 ano!!!!!!!!! E claro que aniversário tem que ter comemoração, não é mesmo!? rsrsr

Já comentei aqui, e o título do próprio blog retrata sobre o que é o assunto chave abordado nesse espaço de dividir, sim, porque um blog nada mais é que o ato de uma pessoa querer compartilhar e dividir com as outras sobre coisas que ela gosta, e aqui eu compartilho sobre a minha maternidade, não só sobre a minha própria, mas pela maternidade em geral, eu até tentei colocar outros nichos aqui, como moda por exemplo…rsrs sempre tentando trazer tudo para um lado mais maternal, pois bem, isso faz parte do aprendizado e crescimento das coisas, testar, provar, experimentar para ver se vai dar certo ou não, enfim.

O fato é que faziam uns 6 meses de blog quando uma menina me perguntou em um dos posts, se eu era casada com os pais das minhas filhas… porque eu não falava dele. Gente levei um grande susto, e mais uma vez eu me deparei com as pessoas realmente observando as coisas que eu estava escrevendo, e eu fiquei um dia inteiro pensando da resposta que eu daria para aquela leitora, apesar de estar escrevendo e publicando na internet, eu não tinha noção por completo que nesse mundo virtual as pessoas realmente querem e gostam de participar da privacidade das pessoas, talvez  para daí se sentirem perto, tentando criar um elo com algo que as vezes é tão imaginário..ok, esse fato não me travou na hora, mas ele ficou ali, e foi me paralisando aos poucos e o tesão em escrever mais uma vez estava sendo travado inconscientemente …

Mesmo assim eu tinha um zilhão de planos para o blog em 2015, mas os nossos planos nem sempre dão certo, e também nem sempre são tão bons quanto pensamos que eles sejam, não quero arranjar desculpas, as coisas realmente não rolaram, mas muitas coisas maravilhosas aconteceram na minha vida real e isso pra mim é o que importa.

E querem saber… naquela tarde que eu me peguei com a pergunta da minha leitora esperando por uma resposta… Eu descobri que o pai das minhas filhas, que é sim o meu marido, é o melhor pai que elas poderiam ter… talvez isso renda outro texto.

Chega, a minha pausa “despausou”, ela “playzeou” e agora vai!

Não sei se rápido ou lentamente… ah mas vai! rs

Um zilhão de beijos!

Ale (para que apenas me chamando assim, já se sintam próximos… )

*agora seguem uma fotinhos para dar uma atualizada de como estamos por aqui… as meninas cresceram e estão a cada dia mais fofas e o meu aprendizado a cada dia mais intenso… esse é o verdadeiro motivo pelo qual escrevo… o meu amor por elas!

Fotos: Isla Grossi

Uma nova barriga!

Boa noite!!!!

Hoje é sexta-feira, “aquele” dia em que a maioria das pessoas sentem uma esperança diferente e um animo fora do normal!
Então… pensando nisso e me despindo de toda vergonha da minha vida, pensando e repensando sobre o que falariam ou pensariam sobre este post, tomei uma corajosa decisão rsrs, hoje ainda com vergonha rsrs venho mostrar a minha barriga para vocês! Sim!
Porque eu fiz isso?
Primeiro, porque estou sentindo muito orgulho do meu foco e força de vontade! Para mim que estive praticamente dois anos da minha vida Grávida… (Engravidei da Glória em Julho de 2011 e ela nasceu em março de 2012, depois como alguns de vocês já sabem, quando a Glória estava com apenas 8 meses eu engravidei novamente, nada planejado, mas em novembro de 2012 me descobri grávida de novo e a Helena nasceu em agosto de 2013.) …posso afirmar que voltar ao meu peso normal em nenhuma das vezes foi difícil, mas perder a barrinha não foi fácil! O corpo se transforma, nunca mais será o mesmo de antes, mas pode ser melhor 😉

Gloria_Helena1

Pois bem, apesar de me amar barriguda, é inevitável dizer que essa barriga da gravidez não nos deixa algumas marcar né… no meu caso as estrias milagrosamente não apareceram na barriga, eu digo milagrosamente, porque nas duas vezes a minha barriga ficou enorme, nessas fotos elas não estavam no tamanho final, mas delas nasceram duas bebês grandes e gordinhas, uma com 3,555 kg e a outra com 3,750, para uma mulher pequenininha que sou elas nasceram bem!

Mas continuando… barriga estica daqui, barriga mucha dali, barriga estica de cá e mucha de lá, todo esse processo resultou nessa primeira foto abaixo… uma barriga “deformadinha”, flácida e branca, muito branca rsrsr

Barrigaantesedepois                         Primeira foto 4 de janeiro de 2015                                      Segunda foto 4 março de 2015

As fotos não estão muito boas, porque foram tiradas de celular, mas o que eu realmente queria mostrar pra vocês é que tem jeito sim!!!!!!!

Agora o que eu fiz e estou fazendo para melhorar?!

Depois de muita preguiça e muito olhar para o espelho e não gostar do que estava vendo, resolvi pesquisar sobre procedimentos estéticos e decidi fazer uma Criolipólise, mas já aviso que não é milagre, porque juntamente com a Crio eu mudei 70% da minha alimentação, que já não era tão ruim, ou seja, sofri muito por deixar de comer algumas coisas, mas eu tinha um objetivo, porque a  criolipólise ajuda na eliminação de 25% da gordura… o resto é com você!!!!!!! E eu estou buscando um resultado de 95% pelo menos, os outros 5% ficaram separados para os fins de semana rsrsrs, (claro!) ninguém é de ferro e você precisa estar feliz para ter animo e correr atrás do prejuízo, e uma das minhas felicidades é poder comer porcaria!!!!!!!!!!!!!!!!

Mas foi só a Criolipólise e a Alimentação?

NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estou fazendo muitos exercícios físicos também! Mas não estou indo para nenhuma academia ou coisa assim, faço tudo em casa mesmo, eu tenho uma bola daquelas grandes de pilates (sabe?!), e com ela e com muitas revistas da Boa Forma (aquelas que eu comprava pensando que só folhear aconteceria no meu corpo rsrsr) me viro nos 30, ah também estou fazendo umas caminhadas e corridinhas, as corridas estão ajudando muito no fortalecimento das minhas coxas que também não estavam legais.

Enfim gente, o que eu queria dizer para vocês é que tudo depende de nós! Da nossa força de vontade e foco! Se você não tem dinheiro pra fazer um procedimento estético, sei lá, procura no Youtube como fazer massagens estéticas localizadas, porque existem muitas coisas ao nosso alcance e agente tem que se virar com o que tem, porque com certeza o resultado será sempre melhor que o atual, e hoje a minha barriga está ainda melhor do que a foto do dia 4 de março, a cada passo uma conquista e hoje eu estou gostando ainda mais do meu corpo do que antes das minhas gravidezes (VERDADE!) e a minha autoestima está bem legal! Me ver sem barriga esta sendo bom demais!

Outra coisa, é legal ter uma inspiração e a minha foi a Drika do Blog da Drika! Gente eu sou muito fã dela! Busquem conhecer que vocês vão gostar também!

Só mais uma coisinha, preciso confessar que o que eu via no espelho não era tão ruim como essa primeira foto, por isso acho legal tirar uma foto antes de começar a fazer qualquer coisa para comparar depois, tanto que quando a minha fisioterapeuta Adriane me mostrou essa foto depois de um mês pra gente fazer uma comparação eu disse que essa barriga não era minha kkkk, mas não era zoeira não! Eu realmente não me reconheci naquela barriga! Louco isso né!? Agora eu pergunto para vocês… O espelho não mostra as coisas como elas realmente são ou nós que não conseguimos/queremos ver a verdade? (rindo muito aqui)

Beijos e vamos que vamos! Foco!!!!!!!! Se eu consigo você também consegue!

Ale

Sonho de Mar

Como se não bastasse nos sonhos, aqui você é real…

Mar…

Por que inebria e invade os espaços vagos no meu eu?

Será que de tanto pensar em você, eu é quem deixo isso acontecer?

Como não deixar?

Se existe a vontade de te olhar!

E voltar sempre no mesmo momento…

Naquele que tudo pára e eu curto as marolas.

Preciso aprender e liberar da minha alma mais das tuas ondas,

Aquelas que fazem meu coração balançar.

Para ouvir o seu cantar

E quem sabe sentir somente a brisa boa nos meus cabelos curtindo a intensidade com que nos olhamos,

Sem sentir a cabeça girar,

Porque tentar entender o medo de mergulhar em um mar cheio de mim, seria encontrar mais mar.

Alessandra Honório

contemplando-o-marA Imagem: é uma Linda Obra de Arte da Artista plástica Nancy Szaz que casou certinho com o meu poema!

Como é bom as vezes escrever e não se deixar entender por completo, as letras têm essa magia de juntar sentimentos em palavras, escrever me faz viajar e ir em lugares que eu não posso, e liberar esses pensamento do interior do meu coração me faz tão bem, a minha alma fica mais leve e a saúde do meu espirito me mantém firme, mas não menos sonhadora. Uma mãe sem sonhos é uma mãe sem histórias… Eu prefiro ter muitas histórias para contar ao invés de ficar com medo de sonhar!!!

Quando vocês estiverem com a mente muito cheia de tudo… tentem escrever alguma dessas coisas e liberar espaço para sua cabeça trabalhar e pensar melhor 😉

beijo

Ale – #MãecomAmor

Feliz Ano Novo!

2015

Viva 2015! Que seja um novo ano cheio de sonhos realizados, e que a frente dos nossos sonhos esteja o nosso Deus, nos mostrando mais uma vez que é fiel!

Nesse novo ano eu espero fazer muito mais que fiz em 2014, sim… já tenho a minha listinha de metas e objetivos para alcançar e buscar com todas as minhas forças e desejo!

Os maus hábitos ficaram aqui, em 2014, para que o meu novo ano comece leve e branquinho, para quando chegar ao fim novamente eu olhe para traz e veja um montão de coisas feitas e pense… Obrigada mais uma vez mus Deus!

Obrigada a Todos que visitaram o blog, e agora a minha vontade e de fazer bem mais e melhor em 2015!

#vemquevem2015

Ale – Mãe com Amor

“Sentir-se bem na própria pele”

sentir-se_bemFoto: Isla Grossi

Um bom dia especial para aqueles que me acompanham aqui no blog! Adoro quando vocês passeiam por aqui, pois tudo o que eu faço aqui é para ser lido e compartilhado mesmo, e não teria razão escrever para o nada né gente… po-xa vida! 🙂

O fim do ano se aproxima e eu começo a relembrar e pensar em coisas que eu ainda quero na minha vida e naquelas que não têm porquê levar para o ano novo…

Certo dia, em um passado não muito distante, comprei uma revista e nela encontrei a seguinte frase: “Être bien dans sa peau” no momento em que eu estava lendo essa frase… lembro como se fosse hoje, parece que o mundo girou em câmera lenta a minha volta e na minha mente passou um filminho da minha vida, posso dizer que foi algo meio mágico sabe… tipo aquelas cenas de filme rs

Essa frase quer dizer “sentir-se bem na própria pele”, uma expressão usada pelos franceses para descrever a sensação de segurança, harmonia e força que temos quando tudo vai bem com o corpo e com a nossa alma!

E eu pude pensar, mesmo em poucos segundos, sobre como não tinha sido muito fácil viver na minha pele em alguns momentos, porque “SENTIR-SE BEM NA PRÓPRIA PELE” vai além do que vemos do lado de fora do nosso corpo, e o que está dentro do nosso coração, ou té mesmo aceitar o que vemos quando nos olhamos frente a um espelho, para mim, é aceitar os planos e o propósito pelo qual Deus nos deu vida aqui nessa Terra. Algumas pessoas talvez, nunca chegaram a pensar sobre isso, outras nem saibam que Deus tem planos para nossas vidas, mas eu, ai eu… desde quando criança me perguntava o porquê de muitas coisas para Deus, era difícil aceitar a minha vida na minha pele, “o porquê de me trazer para essa cidade, essa família, ser filha desse pai e dessa mãe… Essa “casa” seria realmente o melhor lugar pra mim aqui na Terra Deus?”, e Deus me respondia, cada coisa no seu tempo, cada assunto na melhor fase a ser tratado e entendido. Crianças falam com Deus sim! Eu aceitei a Jesus Cristo como meu único Salvador quando eu tinha apenas 10 anos de idade, e isso me trouxe uma alegria e paz incomparáveis ao meu coração, então comecei a entender que debaixo da nossa pele tinha muitas e muitas coisas, que só Deus poderia me revelar… através da minha alma e do espírito santo que habita em mim, e hoje com 28 anos, ainda estou aceitando e entendendo o que Deus quer da minha vida…Esse ano em um retiro, durante a palavra de um missionária, eu tive uma das respostas de mais difícil aceitação para mim, ela apontou na minha direção e disse “sim você!”, foi tão bom sentir o acalento do meu Deus, que sempre se fez presente…

Naquele momento em que eu estava lendo aquela revista eu senti que Deus mais uma vez me trazia para o meu rumo e para os Seus caminhos, e eu entendi que não tinha como me sentir bem, na minha pele, estando fora da presença de Deus, isso foi tão forte, e eu nunca vou esquecer, pois está tatuado em mim, na minha PRÓPRIA PELE!

*

 

Para você que acabou de chegar aqui… esse texto, faz parte do meu Diário, eu nunca tive um diário de verdade rs, sempre quis ter, e decidi que aqui seria o lugar daquelas coisas que agente quer escrever para ficar gravado na história das nossas vidas sabe?! Seja bem-vindo!

E definitivamente esses textos fluem e saem melhor da minha cabeça no silêncio da madrugada, aquela que guarda o soninho precioso das minhas princesas… então, não estranhem o horário 😀

Ale – Mãe com Amor

 

Diário: Por que um Blog?

Oi… Essa semana eu poderia escrever sobre muitas coisas, pois a minha cabecinha não para de pensar em coisas para dividir com vocês, mas acho legal deixar registrado aqui o porquê criei o Mãe com Amor…

Eu sempre soube que quando eu tivesse filhos a minha vida mudaria, que teria muitas responsabilidades, que certamente teria que abrir mão de alguns sonhos e que muitas coisas que eu gostaria de fazer teriam que ficar para depois, ou não… o que eu não sabia é que iria amar tanto, mas é um tanto que por ser grande e não caber em mim, às vezes dói… Mas por quê dói? Não falo em dor física, mas em algumas inseguranças, como se fosse uma “dor na alma”, uma expressão que eu ouvi a uns três anos atras e nunca mais esqueci dessas palavras e o porque elas foram ditas, pois bem…

Engravidei. Tudo foi muito bem planejadinho e no dia que completei as 40 semanas a Glória nasceu, e o parto dela não foi previamente marcado, nada disso, foi ela quem escolheu nascer naquele dia lindo de sol, e desde então tudo teve sentido pra mim, eu sei que já disse isso, mas foi assim. Oito meses se passaram e para minha surpresa e descuido me descobri grávida novamente, muitos sentimentos, tudo a flor da pele, mas mesmo assim já amava aquela nova vidinha que estava dentro de mim, e tudo passou tão rápido que no dia que acordei para minha “última consulta” com o obstetra me olhei no espelho e senti que ela nasceria naquele dia e ela nasceu em um parto que me fez sentir a mulher mais forte desse mundo, mas sobre os partos eu quero falar em outros dias, porque mesmo depois de tudo isso, 3 meses após o nascimento da Helena eu me senti muito só, parece que ninguém estava entendendo a minha situação e me sentia muito infeliz, sim… diante de tantas alegrias eu estava triste…

A pouco tempo eu não tinha filhos e rapidamente já tinha duas, ter dois bebês em casa no começo não foi fácil, mas eu precisava além de ser mãe por tempo integral, fazer uma outra atividade, que service como meu trabalho, no entanto que eu pudesse fazer meus horários, então orei a Deus e ele abriu meus olhos, acalmou o meu coração e me fez sentir que toda a insegurança e medo já tinham passado, e o que passou serviu como mais uma experiência, para entender que as mães são fortes, mas não são de ferro! De repente as ideias começaram a surgir e eu entendi que eu poderia trabalhar com o que tinha de melhor, que é o amor que tenho pelas minhas amadas filhas… assim Mãe com Amor nasceu, seja como for, sou mãe e tenho amor, seja qual for a situação ele sempre estará dentro do meu ser! E esse amor vem da certeza de que Jesus Cristo morreu pelos meus pecados, por isso sou livre para viver sem me aprisionar as coisas más desse mundo, vencendo todas as situações para honra do meu Deus 😉

 

Ensaio Alessandra Honorio (272)

 

Foto: Isla Grossi

 

Beijo beijo beijo

Ale – Mãe com Amor

Diário: Minhas metades

 

gh

Minhas metades

Faz muito tempo que eu venho pensando em escrever algo sobre e para as minhas filhas, antes do blog eu sempre escrevia alguns textos sobre o nosso amor, alguns eu publicava outros eu tenho guardadinho só pra mim, mas preciso confessar que o meu tempo tem sido curto, no entanto o meu amor por elas ainda cresce, e tenho a certeza que ele nunca vai parar de crescer, quando penso nisso sempre me emociono, eu já falei isso, mas não canso de falar que eu desabrochei para mim mesma somente depois do nascimento delas! E como foi gostoso sentir tudo o que eu jamais tinha sentindo pelas pessoas… Gerar essas duas vidas dentro de mim me fez sentir ainda mais o Espirito Santo de Deus e me faz tentar sentir o mínimo do AMOR e da DOR que Deus sentiu, quando enviou o seu ÚNICO filho, JESUS, para MORRER por nós em uma rude CRUZ, para que nós TODOS tivéssemos a oportunidade de viver uma vida de amor e reconhecimento de um Deus que nos ama e nos espera além dessa vida, se aceitarmos esse filho que morreu por nós como ÚNICO e SUFICIENTE SALVADOR… Acima de tudo e todas as coisas eu AMO um DEUS que eu não consigo ver, mas que me AMA tanto, que consigo sentir o seu carinho, todo o acalentar do seu aconchego e o zelo que tem pela minha vida! Enfim…

As duas entre suas diferenças e sem ordem formam as minhas metades:

No meu reino uma é a princesa e a outra a pimenta;

uma é o meu lado esquerdo e a outra o direito;

dentro de uma delas esta a minha razão, já a outra guarda o meu “coração”,

uma nasceu sob a luz do sol, trazendo a energia para o meu dia,

já a outra veio sob a luz da lua, meu descanso na noite;

uma é a minha humanidade, a outra felicidade;

uma me trouxe o sorriso sincero a outra aquele dengo gostoso;

uma delas é do mundo, a outra, suga todo o meu eu;

e o cheiro entre nós é uma forma de falar, já a outra basta apenas um olhar para o turbilhão acalmar,

no entanto as duas transcendem o meu entendimento de mãe…

… e quando olho uma delas eu vejo os olhos da outra, e quando cheiro a outra sinto o mesmo cheirinho das duas!

Mas quando passo as mãos nos cabelinhos delas,

me lembro rapidamente de todas as diferenças,

uma em formas de caracóis e a outra como fios de algodão esticado.

Entre dois mundos completamente diferentes, respeitando a individualidade ,

vou aprendo a amar dois amores na mesma intensidade, mas com únicas cores e sabores.

Alessandra – Mãe com Amor

Eu amo escrever sobre elas, poderia ficar aqui horas e horas, mas como elas me faltam e o tempo não pára, vou aos poucos, mas sempre, escrevendo, agora por aqui, e aprendendo mais sobre essa relação entre mãe e filhos ao mesmo tempo fica tudo registrado para no futuro elas lerem tudinho!

Boa semana!